Pedrucci     Produtos     Onde Comprar     Notícias
Sobre o Espumante     CPEG     Localização     Contato

As conquistas dos vinhos brasileiros pelo mundo



Sucesso dos vinhos do Brasil pelo mundo poderá ser conferido em novembro em Hong Kong durante o Wine Future e a a International Wine Fair.

Embora a história vitivinícola brasileira tenha mais de um século, a produção moderna de vinhos e espumantes é muito recente, tem duas décadas. E o ingresso no mercado internacional tem apenas sete anos, com a criação do projeto Wines of Brasil, realizado em parceria entre o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). “Em sete anos, o Brasil realizou uma verdadeira revolução na sua produção de vinhos, algo que a Europa demorou 70 anos para fazer”, afirma o jornalista e sommelier internacional italiano, Roberto Rabachino.

Segundo a gerente do Wines of Brasil, Andreia Gentilini Milan, apesar de jovem, a indústria brasileira de vinhos tem se mostrado promissora. As conquistas chegam de todos os lugares do mundo. Somente em 2011, os vinhos brasileiros receberam 115 medalhas em concursos internacionais, que somam 2.437 prêmios aos rótulos verde-amarelos. Este ano, pela primeira vez, um vinho brasileiro foi premiado este ano com a medalha de ouro no International Wine Challege 2011, em Londres. A consagração do espumante Grand Legado Brut Champenoise, da vinícola Wine Park, e a conquista de 25 prêmios, mais que o dobro do ano passado, surpreenderam até a organização do concurso.

A crítica internacional também abriu os olhos para os vinhos do Brasil recentemente. O rótulo Quinta Seival Castas Portuguesas foi indicado pelo crítico Steven Spurrier na revista especializada em vinhos Decanter, a mais importante do Reino Unido. Os vinhos brasileiros ainda ganharam este ano a primeira publicação no Editorial da Wine Enthusiast, uma das principais revistas dos Estados Unidos. O espumante Cave Geisse Brut 1998 foi pontuado com nota 18,5 (de um máximo de 20) pela consagrada crítica de vinhos Jancis Robinson, que declarou ter sido um dos mais impressionantes espumantes degustados por ela nos últimos anos. É este espumante que será apresentado por Jancis Robinson na Wine Future 2011, que acontecerá de 6 a 8 de novembro, em Hong Kong. O rótulo de Pinto Bandeira estará entre os 15 produtos que serão servidos por Jancis Robinson mostrando o Brasil – ao lado de China e Turquia – como um dos países produtores emergentes no mundo.

Em breve, os vinhos brasileiros serão pontuados, pela primeira vez, na revista Wine Advocate, publicação de Robert Parker, o mais influente crítico de vinhos do mundo. No mês passado, o degustador dos vinhos da América do Sul para a revista, Jay Miller, provou 35 rótulos brasileiros de 15 vinícolas.

O Wines of Brasil também comemorou em 2011 a entrada dos produtos brasileiros em alguns dos mais renomados restaurantes de Londres, como o River, do Hotel Savoy, e os badalados restaurantes japoneses Zuma e Roka. O restaurante-escola do chef inglês Jamie Oliver – o Fifteen – igualmente incluiu dois rótulos brasileiros na sua carta de vinhos. O Brasil ainda conquistou um espaço permanente na Vinópolis, uma espécie de museu do vinho mundial em Londres. Churrascarias instaladas nos Estados Unidos também incluíram vinhos brasileiros em suas cartas desde o ano passado, com grande sucesso na comercialização.

Andreia Gentilini Milan lembra que o Brasil tem como principal polo vitivinícola o estado do Rio Grande do Sul, na serra gaúcha, povoada por imigrantes italianos. Nesta região, há a primeira DO (Denominação de Origem) do Brasil, o Vale dos Vinhedos. E é onde se concentra a maioria das vinícolas reconhecidas internacionalmente pela qualidade na elaboração de bons espumantes. Mas hoje a produção de vinho já alcança mais de 10 estados e regiões do Brasil, que é o 16º produtor mundial de vinho e o 5º maior consumidor do planeta.

O estilo único do vinho brasileiro
A diversidade climática e a criatividade do brasileiro, que tem uma capacidade singular de reinventar tudo, levou o País a ter uma vitivinicultura completamente original no mundo. A tradição européia trazida ao Brasil por milhares de imigrantes italianos no século 19, aliada ao investimento em novas técnicas e inovação, resultou em algo inusitado. Parece óbvio, mas nenhum outro País no mundo possui tanta diversidade em um só território. É por isso que os vinhos brasileiros têm a cara do Brasil.

No Rio Grande do Sul (Serra Gaúcha, Campanha, Serra do Sudeste e Campos de Cima da Serra) e Sudeste (São Paulo e Minas Gerais), a produção é semelhante às clássicas regiões vitivinícolas européias, com uma colheita por ano (no verão) e um período de repouso dos vinhedos (no inverno). No Nordeste, na semi-árida região do Vale do São Francisco, nos estados da Bahia e Pernambuco, surgiu uma novidade, as colheitas em meses sucessivos (até duas e meia) durante o ano. Em Santa Catarina, ainda há os vinhos de altitude, desenvolvida em ambiente com temperaturas extremamente baixas, e a possibilidade de colher uvas no gelo. Imagine só, tudo isso no Brasil.

Esta diversidade brasileira só existe aqui, pois quem possui viticultura em clima tropical não têm temperado e frio. Em um só País, vários sabores, aromas e diferentes peculiaridades podem ser encontrados, dependendo da região onde a uva é produzida e o vinho é elaborado. As diferentes características de clima, solo, tipos de uvas, sistemas de produção, vinificação e envelhecimento possibilitam a produção de vinhos com identidades variadas – com a marca da diversidade brasileira, mas com um estilo único.

Mesmo em um país continental, com 4 mil quilômetros de distância entre duas das principais regiões produtoras (Rio Grande do Sul e Vale do São Francisco), o Brasil consegue elaborar vinhos com características diferenciadas, mas com um estilo único – jovens, frescos, frutados e com presença moderada de álcool. Este estilo de vinho combina com a imagem e o modo de vida dos brasileiros, ou seja, aqui há pessoas e vinhos alegres e autênticos. Esta idiossincrasia do Brasil confere um enorme potencial para obtenção de produtos aptos a agradarem os diferentes paladares dos consumidores.

Fonte : Ibravin

Linha Presidente Soares | 95720-000 | Serra Gaúcha | Garibaldi - RS | Brasil | +55 (54) 3462.4948 - 3464.7878 | pedrucci@casapedrucci.com.br
Casa Pedrucci © 2011 - Todos os direitos reservados